Artigos científicos

Pirâmide alimentar adaptada: guia para escolha dos alimentos.

Este trabalho traz a avaliação e adaptação da pirâmide alimentar elaborada nos Estados Unidos em 1992 à realidade profissional brasileira dos grupos de pesquisa em alimentação e nutrição. A Pirâmide Alimentar Adaptada foi construída com os alimentos distribuídos em oito grupos (cereais, frutas, vegetais, leguminosas, leite, carnes, gorduras e açúcares) de acordo com a contribuição de cada nutriente básico na dieta. Foram estabelecidas três dietas-padrão (1 600 kcal, 2 200 kcal e 2 800 kcal), com distribuição dos macronutrientes: carboidratos (50-60%), proteínas (10-15%), lipídios (20-30%). Cada nível foi apresentado em porções mínimas e máximas a serem consumidas de acordo com as dietas referidas. Para o cálculo das dietas e definição das porções utilizou-se o software "Virtual Nutri". A Pirâmide Alimentar Adaptada pode ser utilizada como instrumento para orientação nutricional de indivíduos e grupos populacionais, respeitando-se os hábitos alimentares e as diferentes realidades regionais e institucionais.
Palavras-chave : dietética; orientação nutricional; pirâmide alimentar; guia alimentar; dieta; alimentos; consumo de alimentos.
Referência Bibliográfica:
Philippi Sonia Tucunduva, Latterza Andrea Romero, Cruz Ana Teresa Rodrigues, Ribeiro Luciana Cisotto. Pirâmide alimentar adaptada: guia para escolha dos alimentos. Rev. Nutr. [periódico na Internet]. 1999 Abr [citado 2011 Abr 27] ; 12(1): 65-80. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52731999000100006&lng=pt. doi: 10.1590/S1415-52731999000100006.


Fatores dietéticos e síndrome metabólica

O papel da dieta na síndrome metabólica (SM) tem sido estudado em relação a cada um de seus componentes: obesidade, níveis pressóricos elevados, dislipidemia e alterações no metabolismo da glicose. Entretanto, poucos estudos avaliaram os efeitos da dieta na presença da SM como uma entidade clínica independente. O objetivo deste manuscrito foi revisar a importância dos fatores dietéticos e as recomendações dietoterápicas na SM. Estudos recentes demonstraram que o consumo de grãos integrais foi associado negativamente com SM. Já alimentos com alto índice glicêmico foram associados positivamente com resistência à insulina e prevalência de SM. O seguimento de uma dieta mediterrânea foi capaz de reduzir o número de componentes da SM. Também a adoção da dieta DASH melhorou o perfil de todos os componentes da SM. Recomenda-se, para pacientes com SM, um valor energético total compatível com a obtenção e/ou manutenção do peso corporal desejável. O conteúdo de gordura, em especial o consumo de gordura saturada, e colesterol deve ser reduzido e o consumo de grãos integrais, frutas e vegetais, aumentado. Provavelmente as fibras alimentares têm um papel importante no manejo dietoterápico da SM. Novos estudos que avaliem o papel da dieta na presença e no desenvolvimento da SM são necessários.
Palavras-chave : Síndrome metabólica; Dietoterapia; Diabetes melito; Fibras dietéticas.
Referência Bibliográfica:
Steemburgo Thais, Dall'Alba Valesca, Gross Jorge L., Azevedo Mirela J.. Fatores dietéticos e síndrome metabólica. Arq Bras Endocrinol Metab [periódico na Internet]. 2007 Dez [citado 2011 Abr 27] ; 51(9): 1425-1433. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302007000900004&lng=pt. doi: 10.1590/S0004-27302007000900004.


Influência do estado nutricional pregresso sobre o desenvolvimento da síndrome metabólica em adultos.

FUNDAMENTO: O aumento da prevalência do excesso de peso em faixas etárias cada vez mais jovens pode levar ao desenvolvimento precoce de fatores de riscos cardiovasculares. OBJETIVO: Investigar a prevalência de síndrome metabólica em adultos jovens e a influência das condições de nascimento e estado nutricional na adolescência sobre este quadro. MÉTODOS: Foram avaliados cem indivíduos, em três fases da vida. A partir dos registros do banco de dados de alistamento do Tiro de Guerra, coletou-se peso, estatura e circunferência da cintura de todos os alistados nos anos de 1996, 97 e 99, para análise do estado nutricional na adolescência. A partir dos registros do mesmo banco, buscou-se informações sobre as condições de nascimento na maternidade e identificou-se os indivíduos, quando adultos. Na vida adulta, realizou-se avaliação antropométrica e bioquímica. A classificação da síndrome metabólica (SM) se deu de acordo com proposta do NCEP-ATP III. O percentual de gordura corporal foi aferido por bioimpedância elétrica. A pressão arterial foi aferida por aparelho automático. A análise estatística foi realizada no software Sigma Stat 2.0, p<0,05. RESULTADOS: Encontrou-se prevalência de SM em 13% dos avaliados. As condições de nascimento não apresentaram relação com a determinação na síndrome. Aqueles diagnosticados com SM apresentavam, na adolescência valores superiores de peso (11 kg; p =<0,001), circunferência da cintura (8 cm; p < 0,001) e índice de massa corporal (2,5 kg/m2; p= 0,002). CONCLUSÃO: Grande parte dos fatores de risco cardiovasculares tem início na infância e adolescência e tende persistir ao longo da vida, desta forma, medidas de prevenção primária são de grande importância no cenário das doenças cardiovasculares. Palavras-chave : Estado nutricional; síndrome metabólica; adultos. Referência Bibliográfica:
Oliveira Renata Maria Souza, Franceschini Sylvia do Carmo Castro, Rosado Gilberto Paixão, Priore Silvia Eloiza. Influência do estado nutricional pregresso sobre o desenvolvimento da síndrome metabólica em adultos. Arq. Bras. Cardiol. [periódico na Internet]. 2009 Fev [citado 2011 Abr 27] ; 92(2): 107-112. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2009000200006&lng=pt. doi: 10.1590/S0066-782X2009000200006.


A ciência da nutrição em trânsito: da nutrição e dietética à nutrigenômica.

No cenário mundial, a emergência do campo da Nutrição foi um fenômeno característico do início do século XX. No Brasil, a emergência da Nutrição localizou-se na área das Ciências da Saúde (ou Ciências da Vida), caracterizando-se, à primeira vista, como uma ciência de natureza biológica. Este artigo tem por objetivo analisar a trajetória do processo de produção do conhecimento científico que garantiu especificidade ao campo da Nutrição no Brasil, da emergência aos dias atuais. Os pressupostos teóricos que norteiam o artigo são: o conceito de campo científico, desenvolvido por Pierre Bourdieu e os conceitos de paradigma e comunidade científica, introduzidos por Thomas Samuel Kuhn. A análise histórica evidencia que desde o seu nascimento, além da natureza biológica, a Nutrição brasileira assumiu dimensões sociais e ambientais, caracterizando-se como um campo de conhecimento multidisciplinar, constituído a partir da integração de Ciências Biológicas, Ciências Sociais e Ciências dos Alimentos e Nutrição. Nas últimas décadas, com o intenso desenvolvimento da comunicação e informática, da genética e das teorias sobre a sustentabilidade ecológica do planeta Terra, importantes mudanças paradigmáticas têm ocorrido no campo da Nutrição. Portanto, pode-se afirmar que a Nutrição estaria vivenciando a era pós-genômica, constituindo-se uma ciência multidisciplinar, caracterizada pela integração das dimensões biológica, social e ambiental.
Palavras-chave : Campo científico; Ciência da nutrição; Nutrição e dietética; Nutrigenômica; Paradigma.
Referência Bibliográfica:
Vasconcelos Francisco de Assis Guedes de. A ciência da nutrição em trânsito: da nutrição e dietética à nutrigenômica. Rev. Nutr. [periódico na Internet]. 2010 Dez [citado 2011 Abr 27] ; 23(6): 935-945. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732010000600001&lng=pt. doi: 10.1590/S1415-52732010000600001.